Hip Hop

A Assessoria para o Hip Hop da Secretaria de Estado da Cultura surgiu em 2007, com propostas de dialogar junto aos integrantes da Cultura Hip Hop do Estado de São Paulo, propondo atividades de valorização dessa manifestação cultural, com objetivo de discutir políticas públicas junto ao Movimento/Cultura Hip Hop, manifestação cultural de grande importância que dialoga com a juventude brasileira.

A Assessoria também atua em parceria com as pessoas que protagonizam esta cultura, para que as políticas públicas culturais influenciem no crescimento individual e ideológico, na intenção de que estas exerçam suas criatividades e habilidades, incentivando projetos e ações que possam contribuir com as manifestações culturais não contempladas pelas grandes mídias convencionais.

Ainda, objetiva atuar na formação dos agentes culturais do Hip Hop, tornando-os multiplicadores das ações praticadas por esta Secretaria no âmbito de fomentar a formação e difusão desta cultura.

Anualmente a Assessoria para o Hip Hop realiza, durante as atividades do mês da Consciência Negra, o Encontro Paulista de Hip Hop, apresentando as diversas manifestações culturais do Hip Hop e em conectividade com as culturas que diretamente a influenciam.

O Encontro Paulista de Hip Hop é um evento criado em 2007 que se consolida no calendário anual de eventos do Estado de São Paulo, onde os adeptos, pesquisadores, curiosos, ativistas, crianças, jovens e adultos, de todas as classes sociais se reúnem para importantes discussões, lazer, diversão e aprendizado, dentro dos elementos que compõe a Cultura Hip Hop e outras culturas negras que, intimamente são conexas a ela.

No seu primeiro ano de realização homenageou um importante personagem que, em sua trajetória elevou esta Cultura, sendo reconhecido por todos que dela fazem parte. O primeiro encontro homenageou o Rapper Sabotage, morto em 24 de janeiro de 2003. Entre os convidados participantes deste evento destaque Rappin’ Hood, Nelson Triunfo, King Nino Brown (Zulu Nation), Shows de Helião e Negra Li, Curadoria Rosangela Malachias.

Em 2008 a segunda edição do Encontro Paulista de Hip Hop, encerrando as atividades do mês da Consciência Negra, foi elaborado como uma proposta de demonstrar o significado desta Cultura, bem como suas contribuições benéficas à sociedade, mais precisamente os residentes das regiões de alto índice de violência na cidade, as periferias ou gueto.

O evento foi intitulado de “HIP HOP: CULTURA DE VIVER, APRENDER E ENSINAR”. A grande novidade deste encontro foi à criação de uma tenda para abrigar 250 pessoas, onde aconteceram alguns bate papos interativos com o público presente. Esta tenda foi nomeada de “Baobá”, em homenagem a grande árvore Africana, que era um local onde os antepassados se reuniam para contar histórias e conversar. Trouxemos um pouco dessa herança para o Encontro de Hip Hop, nomeando assim nossa grande tenda de diálogos.

A presença dos “Chicanos” da Cultura “Low Rider e Low Bike” foi outra grande atração. Esta Cultura surgiu nos guetos de Los Angeles sendo completamente ligada à Cultura Hip Hop. Dentre os convidados, destaque para Leci Brandão, Paula Lima, Gog, Max B.O, Show de encerramento com Rappin’ Hood.

Em 2009 o Encontro ressaltou um pouco da história do Hip Hop e os motivos que o originaram. Desta vez o título foi “UMA CULTURA PELA VIDA”, trazendo aspectos que motivaram o surgimento do Hip Hop nos Estado Unidos, sendo imigrado para o Brasil nos mesmos termos. O Hip Hop saiu dos guetos Americanos e chega para o guetos Brasileiros com o mesmo conceito: uma opção pela vida.

Como o tema proposto refletia a motivação do surgimento desta Cultura, criamos uma atividade em homenagem, ao local que é o marco do Hip Hop em São Paulo, a estação São Bento do metrô. Convidamos alguns dançarinos que frequentavam a estação quando o Hip Hop aqui chegou.

Destaque para os seguintes convidados, Eliefi, Nega Gizza, DJ Pogo (UK), Peneira e Sonhador (repentistas), Street Breakes Crew (organizadora da homenagem a São Bento), Shows com Rota de Colisão, Max B.O e Emicida.

O IV Encontro Paulista de Hip Hop, realizado em 2010, discutiu a Cultura que emergiu do Gueto e proliferou-se em todos os cantos do mundo, sendo uma das principais ferramentas de diálogo com a juventude, com poder de atuar como instrumento de transformação social.

O tema “DOS GUETOS PROS MUNDOS” trouxe a discussão outras culturas que passaram por processo semelhante de marginalização, algumas sendo tipificadas como crime pelo Código Penal Brasileiro como é o caso da Capoeira para, após tantas lutas e sofrimentos seres mundialmente reconhecidas.

Ressalta-se que foi de suma importância para as discussões e para o evento como um todo, as participações de MV Bill, Fabiana Cozza, Rincon Sapiensia, Max B.O, DJ KL Jay, Fernandinho Beat Box, Kamau, Marcelllo Gugu, Rodrigo Campos, Mestre Marrom e Grupo de Capoeira Angola Irmãos Guerreiros.